DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.11  n.2  abr/10                            ARTIGO 03

A noção de documento: de Otlet aos dias de hoje
The notion of document: from Otlet to current days
 

por Cristina Dotta Ortega e Marilda Lopes Ginez de Lara


Resumo: Objetiva analisar o documento enquanto objeto informacional partindo da hipótese de que a noção de documento relaciona-se à sua condição de informatividade, o que implica considerar seu aspecto pragmático e o caráter social e simbólico da informação. Sob o ponto de vista metodológico, procedemos à recuperação histórica do conceito e sua atualização na contemporaneidade recorrendo à Terminografia para análise e cotejamento das noções de documento e de Documentação. O corpus de análise compreende textos dos principais documentalistas e teóricos da Documentação franceses, espanhóis e em língua inglesa, desde Otlet. A análise mostra que os termos documento e Documentação já tinham em germe a noção de informação, bem como revela sua atualização por parte dos franceses e espanhóis. Já a corrente anglo-saxã, ao adotar uma abordagem de informação que extrapola, muitas vezes, aquela relacionada aos processos de organização da informação para o acesso e uso, distanciou-se da abordagem clássica de documento. Como conclusão, podemos afirmar que a construção histórica do conceito de documento no âmbito da Ciência da Informação é anterior ao surgimento desta denominação da área, o que nos conduz ao reconhecimento da noção de documento proposta por Otlet e desenvolvida pelos franceses e espanhóis. Documento é hoje concebido simultaneamente como instância física e informativa que, sob ações e condições específicas contextualizadas, otimiza a circulação social do conhecimento.
Palavras-chave: Documento; Informação; Informatividade; Documentação; Paul Otlet
.
 

Abstract: This paper aims at analyzing documents as information objects, based on the hypothesis that the notion of document is related to its informativeness condition, which demands the consideration of its pragmatic aspect and the social and symbolic character of information. From a me-thodological perspective, we traced the development of the historical concept of document to its present day usage, resorting to Terminography for the analysis and comparison of the notions of document and Documentation. The corpus used in the analyses is comprised of texts by the main documentalists and Documentation theoreticians in the French, Spanish and English languages, since Otlet. The analysis shows that, from those early days, the terms document and Documentation contained the germ of the notion of information; it also shows the updating of these concepts over time, as performed by the French and Spanish. The Anglo-Saxon tradition, however, by adopting an approach of information that often goes beyond that related to the processes of organization of information for its use and access to, has diverged from the classic approach of document. As a result, it can be said that the historical construction of the concept of document in the field of Information Science predates the appearance of this denomination of the area, which leads us to the recognition of the notion of document proposed by Otlet and further developed by the French and Spanish. The document is nowadays conceived simultaneously as a physical and an informational manifestation which, under specific conditions, and subjected to specific actions in context, optimizes the social circulation of knowledge. 
Keywords:  Documento; Informação; Informatividade; Documentação; Paul Otlet.

 

Bibliografia 

BRIET, S. Qu’est-ce que la documentation? Paris: Édit - Éditions Documentaires Industriales et Techniques, 1951. 48 p. Disponível em: <http://martinetl.free.fr/suzannebriet/questcequeladocumentation/briet.pdf/>. Acesso em: 10 nov. 2009.
BUCKLAND, M. Information and information systems. New York: Praeger, 1991. 225 p.
COUZINET, V. ; RÉGIMBEAU, G. ; COURBIÈRES, C. Sur le document: notion, travaux et propositions. In: COUZINET, V. ; RAUZIER, J.-M. (Col.). Jean Meyriat, théoricien et praticien de l’information-documentation. Paris: ADBS Éditions, 2001. p. 467-506.
COUZINET, V. Olhar crítico sobre as Ciências da Informação na França. In: WORKSHOP EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 11 e 12 nov. 2004, Niterói. Anais... Niterói: ANCIB ; UFF, 2004.
DESANTES GUANTER, J. M. Prólogo. In: LÓPEZ YEPES, J. Teoría de la Documentación. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra (EUNSA), 1978. 337 p. p. XVII-XXV.
ESCARPIT, R. L’information et la communication: théorie générale. Paris: Hachette Superiour, 1991. 222 p. (Hachette Université Communication). Inicialmente publicado em 1976 pela mesma editora.
FAYET-SCRIBE, S. Histoire de la documentation en France: culture, science et technologie de l'information, 1895-1937. Paris: CNRS Editions, 2001. (CNRS Histoire).
FONDIN, H. L’information documentaire: théorie et pratique. In: BENOIT, D. (Dir.) Introduction aux sciences de l’information et de la communication. Paris: Les Editions d’Organisation, 1995. 414 p. p. 281-326.
FONDIN, H. La science de l’information ou le pois de l’histoire. Les enjeux de l’information et de la communication, Grenoble, 2005. Disponível em: <http://w3.u-grenoble3.fr/les_enjeux/2005/Fondin/home.html>. Acesso em: 10 nov. 2009.
FROHMANN, B. Documentation redux: prolegomenon to (another) philosophy of information. Library Trends, v. 52, n. 3, 2004.
FROHMANN, B. O caráter social, material e público da informação na contemporaneidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 7., 19 a 22 nov. 2006, Marília. Anais... Marília: ANCIB ; UNESP, 2006. (Publicação em CD-ROM).
ISO 1087:1990. Terminology - Vocabulary; Terminologie - Vocabulaire. Genève: ISO, 1990
ISO 1087-1:2000 (E/F). Terminology work - Vocabulary - Part 1: Theory and application; Travaux terminologiques - Vocabulaire - Partie 1: Théorie et application. Geneva: ISO, 2000.
LARA, M. L. G. de. Representação documentária: em jogo a significação. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes/USP, São Paulo, 1993.
LARA, M. L. G. de. Representação e linguagens documentárias: bases teórico-metodológicas. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes/USP, São Paulo, 1999.
LASSO DE LA VEGA, J. Cómo se hace una tesis doctoral o Manual de técnica de la documen-tación científica y bibliográfica. San Sebastián: Internacional, 1947.
LASSO DE LA VEGA, J. Manual de documentación: las técnicas para la investigación y redac-ción de los trabajos científicos y de ingeniería. Barcelona: Labor, 1969.
LÓPEZ YEPES, J. La Documentación como disciplina: teoría e historia. 2. ed. Pamplona: Edicio-nes Universidad de Navarra (EUNSA), 1995. 337 p. Segunda edição atualizada e ampliada de: Te-oría de la Documentación. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra (EUNSA), 1978.
LÓPEZ YEPES, J. Teoría de la Documentación. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra (EUNSA), 1978. 337 p.
LUND, Niels W. Document theory. Annual Review of Information Science and Technology, Medford, v. 43, p. 399-432, 2009.
MEYRIAT, J. Document, documentation, documentologie. Schéma et Schématisation, 2º trimes-tre, n. 14, p. 51-63, 1981.
OTLET, P. El Tratado de Documentación: el libro sobre el libro: teoría y práctica. Trad. por Maria Dolores Ayuso García. Murcia: Universidad de Murcia, 1996. Tradução de: Traité de Documentation: le livre sur le livre: théorie et pratique. Bruxelles: Mundaneum, 1934. 431 p. Versão original disponível em: <http://lib.ugent.be/fulltxt/handle/1854/5612/Traite_de_documentation_ocr.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2009.
PEÑUELA CANIZAL, E. Prefácio. In: LOPES, E. Fundamentos da lingüística contemporânea. 10. ed. São Paulo: Cultrix, 1987. p. 9-14.
RENDÓN ROJAS, M. A. Bases teóricas y filosóficas de la bibliotecología. 2. ed. México: UNAM, Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecológicas, 2005. 183 p. (Sistemas bibliotecarios de información y sociedad).
SAGREDO FERNÁNDEZ, F. ; IZQUIERDO ARROYO, J. M. Concepción lógico-lingüística de la Documentación. Madrid: IBERCOM, 1983. 440 p.
SALVADOR BRUNA, J. Recepción de la obra otletiana en España a través del análisis cualitativo de citas. Documentación de las Ciencias de la Información, v. 29, p. 25-69, 2006. Disponível em: <http://eprints.rclis.org/archive/00008570/01/otletiana.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2009.
SMIT, J. W. Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia – o que agrega estas atividades profissionais e o que as separa?. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, Nova Série, v. 1, n. 2, p. 27-36, 2000.
 

Sobre os autores / About the Author:

Cristina Dotta Ortega

ortega@eci.ufmg.br

Doutora, professora da Escola de Ciência da Informação (ECI), UFMG.

 

Marilda Lopes Ginez de Lara

larama@usp.br

Doutora, professora da Escola de Comunicações e Artes (ECA), USP.